Venha para o encontro

Aguardamos a sua presença em:

VI GEGAL: VI ENCONTRO DE GEOARQUEOLOGIA
DA AMÉRICA LATINA

GEOARQUEOLOGIA E MUDANÇAS CLIMÁTICAS:
CONTEXTOS, CULTURA MATERIAL E PAISAGEM

VI GEGAL



APRESENTAÇÃO

No cenário acadêmico brasileiro, a Geologia ocupa um lugar bastante representativo haja vista os inúmeros cursos, desde aos de base de formação universitária, os de graduação (licenciamento e bacharelado) e pós-graduação, bem como na expansão de pesquisas. O mesmo não se passa com a arqueologia, onde inclusive, a profissão não é regulamentada, e nem todas as universidades brasileiras ofertam cursos de graduação ou pós-graduação.

O primeiro Encontro do GEGAL ocorreu na Argentina e agora, o VI Gegal será sediado no Brasil, mais especificamente no Estado do Ceará, no município de Ubajara. Neste município existem inúmeras cavernas situadas na borda da Serra da Ibiapaba. No Nordeste, há poucas notícias de estudos realizados em cavernas, em sua maioria se referem a abrigos sob rocha, tanto em rochas sedimentares quanto em rochas metamórficas. As cavernas assumem singularidade devido a profundidade e extensão de algumas delas. Apesar de estudos paleontológicos terem revelado a presença de urso fóssil na Gruta de Ubajara, esta, bem como outras em áreas adjacentes nunca foram alvo de estudos sistemáticos, no marco de pesquisas geoarqueológicas científico-acadêmicas. Membros deste projeto identificaram sítios arqueológicos na Serra da Ibiapaba, onde pesquisas foram iniciadas e transcorrerão, mais especificamente, no marco do projeto "Cavernas, abrigos e seu ecossistema - Pesquisas Espeleológicas e Arqueológicas - Ações de Prospecção, Valorização e Divulgação nos Parques Nacionais de Ubajara (CE) e Sete Cidades (PI)". Algumas das áreas neste contexto arqueológico e geoambiental serão visitadas durante o VI GEGAL.

A Geoarqueologia, enquanto disciplina do conhecimento, à medida que se torna mais bem conhecida no âmbito acadêmico-científico, eminentemente pela sua ação interdisciplinar, em ações recíprocas e alcances disciplinares simétricos, as suas análises e interpretações requerem a construção de metodologias próprias, e não apenas no “uso” dos resultados de análises de uma pela outra, a saber a arqueologia e a geologia.

A expectativa maior do VI GEGAL é refletir sobre a ampliação das interações dos fenômenos naturais e culturais que, para serem mais bem compreendidos requerem também, no campo do conhecimento geoarqueológico, a ampliação de interações disciplinares, tais como com a física, química, geografia, paleontologia, estatística, antropologia, ou mesmo com a filosofia, para citar apenas algumas.

Necessariamente, não se espera a apresentação de trabalhos demarcados por teorias do conhecimento, ou seja, construções teórico-metodológicas explícitas. A nossa expectativa maior recai na divulgação de trabalhos que revelem as estratégias metodológicas interdisciplinares empregadas ao serem delineadas imagens dos mundos pré-históricos ou pré-coloniais. Nesse sentido, tanto do ponto de vista da cultura material, - quanto na formação do registro arqueológico, nos processos de intemperismo, na reconstituição da tafonomia dos contextos arqueológicos, - as análises e/ou interpretações da cultura material poderão proporcionar revelações dos contextos arqueológicos e dos métodos empregados, ambos pautados em ações disciplinares recíprocas que irão culminar numa disciplina que desde o seu princípio se constitui por excelência na interdisciplinaridade.




VI GEGAL

COORDENAÇÃO

César Ulisses Veríssimo – Universidade Federal do Ceará – Brasil

Marcélia Marques – Universidade Estadual do Ceará – Brasil



COMISSÃO CIENTÍFICA

Carlos López Castaño - Universidad Tecnológica de Pereira - Colômbia

César Ulisses Veríssimo – Universidade Federal do Ceará - Brasil

Cristian Favier-Dubois - Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires - Argentina

Julio Cezar Rubin de Rubin - Pontifícia Universidade Católica de Goiás - Brasil

Lilian Rebelatto - Universidade Federal do Oeste do Pará - Brasil

Maira Barberi - Pontifícia Universidade Católica de Goiás - Brasil

Marcélia Marques – Universidade Estadual do Ceará – Brasil

Mario Bermúdez - Universidad de Caldas - Colômbia



COMITÊ ORGANIZADOR

Ana Paula Gomes Bezerra – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Brasil

César Ulisses Veríssimo – Universidade Federal do Ceará – Brasil

Jordana Barbosa Batista - Universidade de São Paulo - Brasil

Marcélia Marques – Universidade Estadual do Ceará – Brasil

Maria de Fátima Lucena – IBAMA

Rosicler Theodoro da Silva - Pontifícia Universidade Católica de Goiás - Brasil

Vanderlise Machado Barão – Universidade Federal do Rio Grande - Brasil


 
 

REALIZAÇÃO

Universidade Estadual do Ceará
Núcleo de Arqueologia e Semiótica do Ceará
Universidade Federal do Ceará
Ibama

 

APOIO

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Universidad Nacional del Centro de la Provincia de Buenos Aires
Facultad de Ciecias Sociales
IGPA

 
Logo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás

 

PROGRAMAÇÃO

As atividades serão realizadas durante 5 dias em Ubajara - Ceará - Brasil, na Serra da Ibiapaba.

VI GEGAL



HISTÓRICO

O Grupo de Estudos Geoarqueológicos da América Latina – GEGAL - foi criado em 2012 na cidade de Goiânia durante a VI Reunião de Teoria Arqueológica na América do Sul (TAAS). O grupo conta com um blog (https://geoarqueologiagega.wixsite.com/gegal) onde são divulgadas as inciativas, eventos, publicações etc.

O GEGAL realiza Talleres/Oficinas anuais, na forma de rodízio entre os países integrantes. Até o momento o grupo conta com representantes de 12 (doze) países e 128 (cento e vinte e oito) pesquisadores e estudantes.

Desde a criação do GEGAL foram realizado 5 (cinco) encontros:
Olavarria – Argentina - 2013 ( 20 a 23 de maio) com a participação de 40 pesquisadores e estudantes;
Los Vilos – Chile – 2014 (10 a 13 de outubro), com a participação de 50 pesquisadores e estudantes;
Quito – Equador – 2015 (3 a 7 de agosto), com a participação de 110 pesquisadores e estudantes;
Las Palomas – Uruguai – 2016 ( 05 a 08 de dezembro) , com a participação de 60 pesquisadores e estudantes;
Manizales, Colômbia – 2017 (7 a 12 de novembro), com a participação de 108 pesquisadores e estudantes.

Foram organizados ainda simpósios específicos nos congressos da Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB) e no Congresso Nacional de Arqueologia Argentina (CNAA). Também foram publicados 2 (dois) livros de Geoarqueologia:
Rubin, Julio Cezar Rubin de; Silva, Rosiclér Theodoro da (orgs.) Geoarqueologia. Goiânia : PUC Goiás. 2013
Rubin, Julio Cezar Rubin de; Favier-Dubois, Cristian M.; Silva, Rosiclér Theodoro da (orgs.) Geoarqueologia na América do Sul. Goiânia : PUC Goiás, 2015.

Os encontros ou Talleres do GEGAL, apesar do pouco tempo de existência, tornaram-se uma referencia para outras áreas da Arqueologia, pela periodicidade e frequência, além dos resultados obtidos, como publicações, intercambio entre pesquisadores e estudantes, e discussões relacionadas com o tema, o que tem propiciado o desenvolvimento da Geoarqueologia e da Arqueologia na América Latina.

A partir dos resultados obtidos foi organizada uma edição especial do periódico internacional Geoarchaeology: An International Journal intitulado Environmental Dynamics and Formation of the Archaeological Record in Latin America, tendo como editores Cristian M. Favier-Dubois, Julio Cezar Rubin de Rubin e Peter White.



VI GEGAL



JUSTIFICATIVA

Conforme mencionado na apresentação deste projeto, estudos na área do carste carecem de maior atenção no estado do Ceará, e mesmo no Brasil, tendo como foco demarcatório, os estudos geoarqueológicos. Inúmeras áreas, contextualmente situadas do ponto de vista geológico, resultaram em estudos, inclusive, na especialidade da espeleologia (o estudo de cavernas), proporcionando assim, um considerável banco de dados, que poderão ter os estudos geológicos e arqueológicos num “diálogo” que resulte na fundamentação de uma base de estudos também geoarqueológicos.

Em prospecções realizadas por membros deste projeto, foram identificados sítios arqueológicos na Serra da Ibiapaba, nos municípios de Viçosa do Ceará, Ubajara e Ibiapina. Os sítios segundo os vestígios, foram registrados como Sítios de Arte Rupestre e Sítios Cerâmicos. Dois destes sítios serão visitados pelos participantes do VI Gegal, e os resultados parciais dos estudos serão apresentados in locu. Este Encontro tem uma particularidade que diz respeito à reflexões que ocorreram na mesma área de escavação, onde os integrantes do grupo que pesquisou fazem explanações sobre os procedimentos adotados no registro do cultura material, dos contextos arqueológicos, paleobotânicos e paleoclimáticos, a partir das análises estratigráficas e de outros constituintes que porventura existam.

Ressalta-se que ainda não foram realizadas pesquisas acadêmico-científicas sistemáticas na Serra da Ibiapaba. Desse modo, o VI GEGAL se constitui num importante momento da pesquisa acadêmico-científica no Estado do Ceará, onde poderemos compartilhar da presença e reflexão de pesquisadores de diversas nacionalidades, e de demais participantes como estudantes e interessados nos temas, sobre os estudos arqueológicos na Serra da Ibiapaba.

Ubajara é uma cidade turística que tem possibilidade de hospedar os participantes deste evento. As atividades durante 5 dias (23 a 27 de setembro de 2018) poderão contribuir com o dinamismo turístico-cultural pra região. Neste IV GEGAL traremos ainda a Arte como uma maneira de celebrarmos os encontros entre acadêmicos e não acadêmicos.

VI GEGAL



Normas de trabalhos do VI GEGAL para publicação na Revista de Geologia.
www.periodicos.ufc.br/geologia




NORMAS DE INSCRIÇÃO

Convidamos estudiosos e pesquisadores, que dedicam interesse em saberes e práticas demarcadas na geoarqueologia, para apresentarem trabalhos visando incrementar reflexões, debates e produção de conhecimento durante o VI GEGAL, cujo título e temática é GEOARQUEOLOGIA E MUDANÇAS CLIMÁTICAS: CONTEXTOS, CULTURA MATERIAL E PAISAGEM.

Normas para inscrição de trabalhos:

• Título do trabalho, e logo abaixo, nome dos autores com respectivas filiações institucionais e endereço eletrônico;
• Resumo com 300 palavras, no máximo, que deverá ser acompanhado de 3 (três) palavras-chave;
• Endereço para envio dos trabalhos (resumo e completo): contato@vigegal.com.br e marcelia.marques@uece.br;
• Prazo limite de inscrição: 13 de julho de 2018;
• Data da divulgação dos trabalhos aprovados: 20 de julho de 2018;
• Prazo limite de envio dos trabalhos completos, na íntegra, para publicação: 20 de setembro de 2018.



TAXA DE INSCRIÇÃO

O pagamento da taxa de inscrição será realizado no local do evento, durante o credenciamento, no dia 23 de setembro de 2018.

Taxa de Inscrição:
Profissional: R$ 100,00
Estudante e Ouvinte: R$ 50,00



VI GEGAL



LOGÍSTICA





EM BREVE DIVULGAREMOS ESTE CONTEÚDO.